domingo, 23 de março de 2014

21 dias


Eu sei que não ficaste cego, surdo e mudo quando te apaixonaste por mim. Eu acho normal que, ocasionalmente, outra mulher te desperte a atenção. Compreendo até que tenhas paixonites por mulheres bonitas que cruzam a tua vida, ou por mulheres inteligentes, ou que escrevem bem, ou que são sensíveis.

Eu sei que vais falar com elas e encantar-te (ou não) e flirtar e sorrir. Porque faz parte da natureza humana. E, algures durante isso tudo, vais pensar em mim e voltar a escolher-me a mim, reapaixonando-te pelo que temos e voltando para casa com a certeza de que isso é o que queres e não o que tens de fazer. Porque eu não te posso obrigar a amares-me mas posso tentar fazer-te apaixonar por mim todos os dias. Tentar fazer-te escolheres-me de cada vez que surja uma dúvida. Isso é o que quero para nós: não a obrigação e o dever entre duas pessoas que se comprometeram a ficar juntas, mas antes a escolha de duas pessoas que querem ficar juntas.

 

1 comentário:

mãeee disse...

E é tão isto Ice Maria. Tão isto. Tão bem escrito. Tão como eu também o sinto e desejo para mim.
Obrigada por este texto.
Beijo